Você sabe o que diz a lei trabalhista sobre home office? A dificuldade de mobilidade das grandes cidades está exigindo que as empresas diversifiquem o seu regime de trabalho. Além disso, a pandemia de Covid-19 acelerou algo que era esperado para os próximos anos: o trabalho remoto.

Esse é um dos formatos possíveis de teletrabalho, em que os colaboradores trabalham de suas casas. Para o empregador, essa prática reduz os custos operacionais, visto que não há necessidade de manter a infraestrutura física para a atuação dos times. Enquanto para o profissional, há aumento da flexibilidade, além de eliminar as horas perdidas no deslocamento entre casa e escritório.

De acordo com o IBGE, de 2012 a 2018, houve um aumento de 44,4% no total de profissionais atuando à distância. Somente entre 2017 e 2018, esse crescimento foi de 21,1%, reflexo direto da alteração promovida na CLT. Desde 2020, com a pandemia de Covid-19, o número de profissionais em home office se multiplicou.

Neste artigo, você saberá o que a legislação trabalhista determina a respeito do home office. Conhecerá também o que muda na relação empregatícia, as vantagens da modalidade e quais os deveres das empresas. O objetivo é garantir que o colaborador desempenhe a sua função mantendo a produtividade em alta. Boa leitura! E se preferir, você pode ouvir o post. Só clicar no play.