Você sabe o que é uma empresa ESG? A sigla significa Environmental, Social and Governance, ou seja, Ambiental, Social e de Governança Corporativa. Esses são os três pilares que definem um modelo de gestão sustentável para as organizações, baseado nos critérios do Pacto Global, da ONU, e nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Uma empresa ESG é aquela que reconhece os impactos que gera no meio ambiente e busca minimizá-los ou compensá-los por meio de ações responsáveis e transparentes. Essas ações devem estar alinhadas à estratégia e ao orçamento da empresa, e envolver todos os seus stakeholders. 

No Brasil, segundo um levantamento do Pacto Global da ONU, 78,4% das empresas já incorporaram o tema empresa ESG na elaboração das suas estratégias e 59,5% destinaram recursos para ações ESG no orçamento. 

Mas qual é o papel do RH nesse contexto? Como a área de Recursos Humanos pode contribuir para a transformação da empresa em uma organização ESG? Neste artigo, vamos explicar melhor o conceito de ESG, os benefícios de adotá-lo e como se tornar uma empresa com padrão de gestão da empresa ESG. Acompanhe!

O que torna uma empresa ESG

Existem diversos caminhos e possibilidades para se construir uma empresa ESG. Não é apenas um selo ou certificação que garante isso, mas um conjunto de fatores. Afinal, a transformação não tem como acontecer do dia para a noite, e muito menos gera resultados desta forma.

Os pilares ambiental, social e governança, que constituem o ESG, envolvem uma série de temas e ações que precisam ser executadas. O caminho para se tornar uma empresa ESG é:

  1. tomada de consciência sobre o que precisa ser feito;
  2. elaboração de um plano;
  3. consolidação das ações, na prática.

Assim, se você faz parte do RH de uma empresa, o primeiro passo é começar a pesquisar sobre ESG, entender com as lideranças se este é um tema em que faz sentido investir. 

Spoiler: sempre vale a pena direcionar esforços para ESG, e mais adiante no texto você verá porque.

Ebook RH do futuro

Critérios para uma empresa ESG

Não existe um órgão certificador oficial que determine que uma empresa é ESG. Existem guias, diretrizes e critérios analisados por fundos de investimento, bolsas de valores e consultorias. A partir das dinâmicas de prestação de contas das empresas sobre o cumprimento desses critérios, a credencial ESG pode ser conquistada.

Existe, ainda, a opção de obter certificações de sustentabilidade, como um passo anterior ao ESG, que indica comprometimento da empresa com causas ambientais. Hoje em dia, é fundamental que a sua empresa esteja de olho nessas movimentações, analise as possibilidades e procure se adequar ao máximo para se manter competitiva.

Como medir padrões na empresa

A mensuração dos padrões para classificar uma empresa ESG acontece mediante indicadores de nível de engajamento em cada pilar. Na maior parte dos casos, as informações acompanhadas não são financeiras, de modo que é preciso compilar evidências.

Para apoiar as organizações neste processo, existem alguns frameworks e matrizes onde os indicadores podem ser inseridos e analisados. A dica aqui é, caso o seu RH esteja à frente de um processo de adequação ESG, busque informações com uma consultoria. Assim, as chances de você receber a orientação correta sobre a mensuração dos indicadores será muito maior.

Leia também: Indicadores de RH: 10 KPIs estratégicos para monitorar no seu negócio

Os 3 Pilares do ESG: Desvendando os critérios para um futuro sustentável

Os pilares e temas do ESG são diretrizes macro definidas pelo Pacto Global da ONU para fomentar as melhores práticas de negócio nos ambientes corporativos. A partir deles, é possível metrificar os níveis de percepção de impacto da empresa e gerar relatórios para prestação de contas.

A pesquisa “COMO ESTÁ A SUA AGENDA ESG?”, feita em parceria com a Falconi e a STILIGUE, traz dados relevantes do mercado sobre a preocupação das empresas com essas iniciativas. 

Segundo o estudo, das empresas com maior faturamento, acima de R$ 5 bilhões, pode-se afirmar que: 91,9% inserem ESG nas suas estratégias; 73% fazem mapeamento de riscos ESG; 70,3% têm gestão dedicada a um programa ESG; e 64,9% têm desdobramento de metas estratégicas ESG até o nível operacional. 

Pilar E (Ambiental/Environmental)

O critério ambiental do ESG se refere à maneira como a empresa se relaciona com o meio ambiente, buscando minimizar os impactos negativos e maximizar os positivos de suas atividades. 

Algumas das ações que compõem o critério ambiental do ESG são:

  • Utilização dos recursos naturais de forma racional, preservando-os;
  • Preservação de toda a biodiversidade;
  • Redução da emissão de gases que provocam o efeito estufa;
  • Redução total dos desperdícios;
  • Busca pela plena eficiência energética;
  • Tratamento adequado e responsável dos resíduos sólidos.

Assim, para se adequar a este pilar, as empresas podem realizar ações que ajudem a:

Pilar S (Social)

No pilar social do ESG, as empresas devem adotar práticas que mostrem responsabilidade e compromisso com o seu entorno e a sociedade em que estão inseridas.

O aspecto social expressa os valores e a cultura corporativa. Por isso, investidores e o mercado em geral observam indicadores que evidenciam a valorização do capital humano, a segurança do produto e as oportunidades sociais.

Um dos instrumentos para alcançar esses objetivos é o People Analytics, que consiste na coleta, análise e aplicação de dados sobre o comportamento e o desempenho dos colaboradores.

Alguns exemplos do que você precisa ter atenção para atender aos critérios deste pilar são:

  • Respeitar os direitos humanos;
  • Aumentar e promover a diversidade entre os colaboradores;
  • Garantir boas condições de trabalho;
  • Cuidar da saúde e da segurança dos profissionais.
People Analytics: o próximo passo para o RH Digital

Pilar G (Governança/Governance)

Por último, o pilar de governança corporativa é o que visa prezar pelas melhores práticas de gestão do negócio e compliance. São considerados critérios importantes para este pilar a atenção aos direitos e deveres dos acionistas, diretoria, à política de remuneração, segurança de dados e estrutura organizacional.

Para começar a pensar em ser uma empresa ESG, você precisa, no pilar de governança:

  • Manter a independência do Conselho de Administração;
  • Ter transparência com acionistas minoritários;
  • Manter a remuneração dos executivos em níveis racionais;
  • Não ter envolvimento com casos de suborno e corrupção.

Porque investir em ESG

Investir para ser uma empresa ESG é uma decisão estratégica que pode trazer benefícios para o seu negócio, a sociedade e o planeta. Isso envolve, por exemplo:

  • Usar recursos naturais de forma consciente;
  • Adotar fontes de energia renováveis;
  • Descartar o lixo corretamente;
  • Remunerar os colaboradores de acordo com o mercado;
  • Promover a segurança e o bem-estar no trabalho;
  • Contribuir com a comunidade onde atua. 

Essas práticas não só trazem satisfação pessoal e profissional, mas também melhoram a imagem da marca perante o mercado. Afinal, hoje em dia, os consumidores, talentos, parceiros e investidores estão cada vez mais atentos ao desempenho das empresas em relação aos critérios ESG. 

Eles buscam se relacionar com organizações que tenham causas e propósitos alinhados aos seus valores. Além disso, investir para se tornar uma empresa ESG é fundamental para manter a competitividade no mercado. Uma marca que se destaca pela qualidade, pela certificação e pelo compromisso com as questões ESG ganha reputação e confiança.

Esses fatores atraem investidores que veem na empresa uma oportunidade de negócio com menor risco e maior retorno. Portanto, se você se convenceu disso, confira algumas dicas de ações que podem te ajudar a iniciar essa transformação.

Ações estratégicas do RH para implementar o ESG na prática

Já falamos aqui de alguns exemplos de práticas gerais que as empresas devem buscar para se adequarem ao modelo empresa ESG de gestão. No entanto, qual a responsabilidade do RH nesse processo? Tudo! 

O RH é a área que cuida das pessoas, da cultura e do clima da empresa. Por isso, ele tem um papel muito importante na hora de implementar e divulgar as iniciativas ESG. Quer saber como? Então confira algumas dicas que separamos para você:

  • Recrute talentos alinhados aos valores ESG: procure por profissionais engajados com causas ambientais e sociais, que se identifiquem com a missão e objetivos da empresa, garantindo uma equipe motivada e comprometida;
  • Realize treinamento sem sustentabilidade e ética: capacite os colaboradores para que eles possam compreender e aplicar as práticas ESG no seu dia a dia, e para serem agentes de mudança dentro e fora da empresa. Você pode usar recursos como vídeos, jogos, quizzes, cases e workshops para tornar o aprendizado mais dinâmico e interativo;
  • Promova diversidade e inclusão na organização: crie um ambiente de trabalho acolhedor e equitativo, implementando políticas que garantam igualdade de oportunidades para todos, independentemente de gênero, raça, idade, orientação sexual, religião, deficiência ou qualquer outra característica;
  • Realize eventos corporativos sobre ESG: ensine os colaboradores a adotarem práticas sustentáveis ao exercerem suas atividades diárias, e mostre o posicionamento da empresa em relação ao ambiente interno, o social e a governança. Você pode organizar palestras, debates, feiras, exposições, campanhas, concursos e outras ações que envolvam e conscientizem os funcionários sobre os temas ESG;
  • Elabore um manual de boas práticas ESG: forneça um material relacionado às iniciativas ESG, promovendo uma cultura de transparência e compromisso. Você pode incluir no manual as diretrizes, os objetivos, as metas, os indicadores, os benefícios e as responsabilidades da empresa e dos funcionários em relação às iniciativas ESG. 
  • Insira meios educativos no ambiente de trabalho: utilize placas e incentivos para promover práticas sustentáveis, como economia de água, uso de transporte alternativo e doações para instituições sociais. Essas são algumas formas simples, mas eficazes, de promover a sustentabilidade e a responsabilidade social no dia a dia da empresa.

Ao realizar essas ações, o RH não só contribui para que a empresa se torne mais sustentável e responsável, mas também para que ela atraia mais clientes, fidelize mais colaboradores e gere mais resultados

Aqui na Ahgora, somos altamente conectados com propósitos ambientais, sociais e de governança. Isso se reflete para nós tanto dentro da empresa com todas as práticas já adotadas, quanto no nosso próprio produto, que também ajuda as empresas a serem mais sustentáveis reduzindo o uso de papel. 

planilha ações de RH e endomarketing

O RH como pilar fundamental na transformação ESG

O momento ideal para inserir essas ações no cronograma de RH é durante a realização do planejamento estratégico! Assim, sua equipe vai garantir que as iniciativas de ESG serão executadas ao longo do ano. 

E claro que temos dicas de como incorporar o ESG no seu planejamento estratégico! Confira: 

  1. Conheça os processos: dê uma olhada em como as coisas são feitas no RH. Há sempre espaço para melhorar, seja na redução do uso de papel e energia, na promoção de um ambiente de trabalho diversificado e inclusivo, ou na implementação de políticas éticas. Identificar essas oportunidades é o primeiro passo para fazer a diferença;
  2. Alinhe objetivos: entenda as metas do setor e veja como elas podem se conectar com as da empresa e com as necessidades da sociedade. Isso pode incluir desde a redução da pegada de carbono até a melhoria do bem-estar e do envolvimento dos seus colaboradores;
  3. Comunique com propósito: use o endomarketing para espalhar a palavra sobre a importância das iniciativas ESG. Criar campanhas de conscientização, compartilhar sucessos e reconhecer esforços são maneiras incríveis de inspirar sua equipe;
  4. Conheça a equipe: entender o que move cada colaborador é fundamental. Realizar pesquisas de satisfação e clima, por exemplo, pode revelar insights valiosos sobre como melhor envolver a equipe nas práticas ESG;
  5. Engaje e capacite: ofereça oportunidades para que a equipe se envolva mais ativamente com as práticas ESG. Isso pode ser feito por meio de treinamentos, mentorias, ou até mesmo incentivando a participação em projetos sociais e voluntariado;
  6. Avalie e ajuste: monitorar o progresso em relação aos indicadores ESG e oferecer feedback constante ajuda a manter todos no caminho certo. Reconhecer os sucessos e corrigir o que precisa ser melhorado são partes essenciais desse processo.

Lembre-se, a mudança começa com o apoio e o exemplo da liderança. Ao promover uma cultura de responsabilidade compartilhada e propósito, você não só fortalece sua equipe, mas também contribui para um mundo melhor.

Envolver todos na jornada ESG cria um sentimento de pertencimento e responsabilidade coletiva, o que é essencial para o sucesso dessas iniciativas.

Mensurando o impacto: Indicadores ESG para RH

Hoje, é notável o quanto o mercado valoriza as práticas ESG. Você pode se perguntar: como podemos ter certeza de que as ações da empresa nesses aspectos estão fazendo a diferença e contribuindo para um futuro sustentável?

Para responder a essa questão, é essencial adotar métricas e indicadores específicos — eles ajudam a medir e avaliar o desempenho da empresa sob a ótica ESG. 

Essas ferramentas precisam ser escolhidas e aplicadas de maneira que reflitam os objetivos, os desafios e a realidade do negócio, considerando o impacto e as expectativas de todos os envolvidos.

Existem várias referências que podem guiar na seleção desses indicadores, como:

  • Iniciativa Global Reporting Initiative (GRI);
  • Conselho de Padrões de Contabilidade de Sustentabilidade (SASB);
  • Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. 

Contudo, é crucial que esses indicadores sejam personalizados para se encaixar no contexto e na área de atuação da empresa, considerando as suas particularidades e prioridades.

Além disso, é importante estar sempre atento, revisando e avaliando esses indicadores para garantir que estejam alinhados às metas da empresa e provocando as mudanças desejadas.

Nesse sentido, o RH desempenha um papel chave nesse processo. Ele pode:

  • Fomentar uma cultura organizacional que valorize as práticas ESG, através de políticas, programas, treinamentos, comunicação e reconhecimento.
  • Motivar e preparar os colaboradores para se tornarem promotores de inovação social e ambiental.
  • Atrair e manter talentos alinhados aos valores ESG da empresa.
  • Monitorar indicadores que mostrem o impacto dessas práticas na gestão de pessoas e outros aspectos organizacionais.
  • Incorporar as práticas ESG nas avaliações de desempenho e na trajetória profissional dos colaboradores, valorizando suas contribuições para essas iniciativas.
  • Compartilhar os resultados e aprendizados obtidos com as práticas ESG, de maneira transparente e confiável, com todos os stakeholders.

Ao analisar o impacto das práticas ESG, o RH não apenas demonstra o valor de sua contribuição para a empresa, sociedade e meio ambiente, mas também identifica oportunidades para melhorias contínuas. Dessa forma, o RH ajuda a construir uma empresa mais sustentável, responsável e competitiva.

Planilha Indicadores de RH

Benefícios da ESG para empresas e colaboradores 

Adotar práticas ESG é benéfico tanto para as empresas quanto para os colaboradores, que podem ser divididos em tangíveis e intangíveis.

Benefícios tangíveis (que podem ser medidos e quantificados): 

  • Redução de custos: ao implementar medidas de eficiência energética, gestão de resíduos, uso racional de recursos naturais e outras ações ambientais, as empresas podem reduzir seus gastos operacionais e aumentar sua lucratividade;
  • Acesso a capital: as empresas que seguem os critérios ESG podem atrair investidores, financiadores e parceiros que valorizam a responsabilidade socioambiental e a transparência na gestão. Além disso, podem obter melhores condições de crédito e financiamento, como taxas de juros mais baixas e prazos mais longos;
  • Inovação e competitividade: ao incorporar os princípios ESG em sua estratégia, cultura e processos, as empresas podem estimular a inovação e a criatividade, gerando soluções diferenciadas e competitivas para os seus clientes, fornecedores e stakeholders;
  • Melhoria da qualidade: ao adotar padrões de qualidade elevados, que envolvem aspectos sociais e ambientais, as empresas podem melhorar seus produtos e serviços, aumentando a satisfação e a fidelização dos seus consumidores.

Benefícios intangíveis (que não podem ser medidos diretamente, mas têm impacto significativo):

  • Atração e retenção de talentos: as empresas que praticam o ESG podem se tornar mais atraentes e desejadas pelos profissionais, que buscam trabalhar em organizações que compartilham dos seus valores e propósitos. Além disso, podem aumentar o engajamento, a motivação e a produtividade dos seus colaboradores, reduzindo a rotatividade e o absenteísmo;
  • Fortalecimento da marca empregadora: as empresas que demonstram compromisso com o ESG podem fortalecer sua marca empregadora, ou seja, a percepção que o mercado de trabalho têm sobre elas como empregadoras. Isso pode gerar um diferencial competitivo e uma vantagem estratégica, atraindo e retendo os melhores talentos;
  • Melhoria da reputação e da confiança: as empresas que seguem os critérios ESG podem melhorar sua reputação e sua confiança perante a sociedade, os clientes, os fornecedores, os investidores, os reguladores e outros públicos de interesse. Isso pode gerar um capital social e uma legitimidade que favorecem o crescimento e a sustentabilidade dos negócios.

Sua empresa está pronta para o desafio ESG?

Como você pode ver, ser uma empresa ESG não é uma tarefa simples, mas sim um processo contínuo de melhoria e adaptação às novas demandas da sociedade e do mercado

Por isso, é importante se questionar se sua empresa está aplicando os princípios que os pilares do ESG abordam, além de adotar uma visão estratégica e um planejamento de ações alinhadas aos objetivos e à cultura da sua empresa.

Se você gostou deste artigo e deseja explorar mais tópicos relacionados à gestão de recursos humanos, então continue aqui, no nosso blog, e explore outros artigos. Temos uma variedade de temas que podem enriquecer ainda mais o seu conhecimento na área!